A importância da CBO – Classificação Brasileira de Ocupações

Você sabe o que é a CBO e qual sua importância?

A CBO (Classificação Brasileira de Ocupações) é o documento que reconhece a existência de determinada ocupação. É referência obrigatória dos registros administrativos que informam os diversos programas da política de trabalho do País além de ser uma ferramenta fundamental para as estatísticas de emprego / desemprego e para o estudo das taxas de natalidade e mortalidade das ocupações. Também, para a elaboração de currículos, planejamento da educação profissional,  rastreamento de vagas e serviços de intermediação de mão-de-obra.

Em 1977, tendo como base a Classificação Internacional Uniforme de Ocupações da Organização Internacional do Trabalho, resultado de um convênio entre Brasil e a Organização das Nações Unidas, foi elaborada a estrutura básica da CBO. Ao longo de sua história, a CBO sofreu diversas alterações. Em 1988, com a publicação de uma nova metodologia internacional, a ISCO 88, iniciou-se uma articulação entre os órgãos brasileiros que usavam diferentes classificações de ocupações, buscando unificá-las. Até então era difícil comparar os dados das diferentes fontes de informações brasileiras e, principalmente, compará-los com estatísticas geradas em outros países. Ao final desse processo surgiu a versão atual, a CBO 2002, que é o documento normalizador do reconhecimento, da nomeação e da codificação de títulos e conteúdos das ocupações do mercado de trabalho brasileiro.

A CBO possui uma classificação enumerativa e uma classificação descritiva.

Classificação enumerativa:

Utilizada em registros administrativos como a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), Seguro desemprego, Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (Dirpf), dentre outros. Também é utilizada em pesquisas domiciliares para codificar ocupação como, por exemplo, na Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (Pnad) e outras pesquisas de institutos de estatísticas como IBGE.

Classificação descritiva:

Utilizada nos serviços de recolocação de trabalhadores como o realizado no Sistema Nacional de Empregos (Sine), na elaboração de currículos e na avaliação de formação profissional, nas atividades das empresas e dos sindicatos, nas escolas, serviços de imigração e demais atividades em que informações do conteúdo do trabalho sejam requeridas.

 

Mas, afinal, o que é uma ocupação (CBO)?

Basicamente, ocupação (ou título ocupacional) é um agrupamento de empregos que possuem atividades similares. Agrupando-se, assim, empregos similares, é possível analisar conjuntamente atividades que exigem competências e habilidades cognitivas comuns.

emprego é definido como o conjunto de atividades desempenhadas por uma pessoa. Devem ser consideradas também as competências mobilizadas para o desempenho das atividades de cada emprego.

Na CBO, as ocupações são distribuídas e classificadas em uma estrutura hierárquica, composta por Grandes Grupos, Subgrupos Principais, Subgrupos, Famílias e Ocupações.

Para exemplificar essa estrutura, vamos utilizar a CBO 5211-10 (vendedor de comércio varejista), que é a ocupação com o maior número de trabalhadores no Brasil. Aproximadamente 2 milhões de pessoas possuem essa ocupação, segundo os dados de agosto de 2017.

Você quer saber quais as ocupações que mais contratam no Brasil? Descubra nesse outro post.

A CBO 5211-10 é composta por:

Grande Grupo: 5 – Trabalhadores dos serviços, vendedores do comércio
Subgrupo Principal: 52 – Vendedores e prestadores de serviços do comércio
Subgrupo: 521 – Vendedores e demonstradores
Família: 5211 – Operadores do comércio em lojas e mercados
Ocupação: 5211-10 – Vendedor de comércio varejista

Sinônimos: Consultor de vendas, Operador de vendas (lojas), Vendedor – no comércio de mercadorias, Vendedor interno

Fique por dentro de tudo que acontece no mercado de trabalho! Assine nossa newsletter e acesse o site do Mercadômetro!

 

(dados: MTE/Mercadômetro)